No domingo, dia 5 de novembro, os afetados pelo crime ambiental de Mariana participaram de uma manifestação na Avenida Afonso Pena, região central de Belo Horizonte. O objetivo era sensibilizar a sociedade sobre a situação precária a qual os moradores de Bento Rodrigues e demais comunidades são forçados a viver, transcorridos dois anos da tragédia, na qual um mar de lama devastou vidas e gerou destruição após o rompimento da barragem do Fundão, em Mariana, Minas Gerais.

Os manifestantes insistiram que o ocorrido não foi um acidente, mas um CRIME, que continua praticamente impune. Passados dois anos, ninguém foi punido e a Samarco sequer foi obrigada a pagar as multas ambientais pelo desastre provocado.

O que mais decepciona as populações afetadas é a falta de mobilização e falta de solidariedade da sociedade, o que pode ser visto através das reclamações dos feirantes que se sentiram incomodados e reclamaram da manifestação estar afetando suas vendas.

O crime contra os povos e contra o meio ambiente não pode permanecer impune. A solidariedade e o apoio aos que ainda sofrem desamparados são atitudes fundamentais na busca por justiça e na luta por um mundo melhor e mais humano.