Editorial

MODERNIDADE E TRANSCENDÊNCIA

Abrir horizontes para a reflexão de filosofia e de teologia é o objetivo a que se propôs a Revista do Instituto Santo Tomás de Aquino. Quem tomar um exemplar desse número 19 em mãos terá a oportunidade de passear pelos temas que circulam no nosso meio acadêmico.

Eles vão do pensamento do filósofo Henrique Cláudio Lima Vaz, por meio da reflexão de Analupe Carneiro à alma poética de Adélia Prado, revisitada pelos alunos do curso de Gestão Pastoral, Roberta Oliveira e Antonio Marcos Júnior. Do implicado tema da modernidade e transcendência ao mistério celebrado na Eucaristia, que resulta em misterioso até mesmo ao seu celebrante.

Debater sobre o mal, sua gênese e processo, a luz da grande filósofa, Hannah Arendt, tendo o cinema como referência, é a proposta de Fabiano Campos, professor da PUC-Minas. A pertinência dessa reflexão se impõe nos dias de hoje, frente a banalidade do mal presente em dimensões globais e transversais a todas as esferas sociais.

No campo mais específico da Igreja, somos convidados a refletir a cerca da atualidade da proposta das Comunidades Eclesiais de Base, como células estruturantes de uma eclesiologia que se adéqua mais às demandas de um atendimento pastoral mais personalizado, frente às imensas ondas massificantes de uma sociedade que privilegia os macro-eventos.

No enfoque à questão do exercício do ministério presbiteral há três textos variados e interessantes. A professora Solange do Carmo conduz sua reflexão de modo bem questionador, destacando o relacionamento dos presbíteros com os leigos/as. Sua impressão dá o que pensar: “Parece-me que a Igreja perdeu os ricos para o espiritismo e as religiões orientais; os intelectuais da classe média alta para a secularização e o ateísmo; os pobres para os movimentos pentecostais e as igrejas da teologia da prosperidade. Sobrou um resto, quase sempre da classe média baixa”. Até onde esse “resto” suportará o autoritarismo clerical de boa parte dos presbíteros? Vale a pena ler e conferir. O segundo texto é a recensão do livro Sobre a Teologia do Ministério Ordenado de Francisco Taborda, feita pelo Prof. Cleto Caliman. Esse texto poderá jogar luz aos questionamentos de Prof. Solange e fomentar ainda mais o debate sobre o autêntico exercício do ministério presbiteral. E o terceiro texto, trata-se de uma análise crítica do filme “Dúvida” de autoria de Frater Henrique que, embora tenha como referência a questão do método pedagógico de ensino nas escolas, apresenta a figura de um padre, sugerindo uma nova tratativa no campo educacional. Como todo novo gera conflito, aqui o velho sistema levanta suspeita de que esse novo esteja escondendo uma falha moral – no caso, a pedofilia. Tendo os outros dois artigos anteriores, o da Prof. Solange e a recensão feita pelo Prof. Cleto, como referenciais, podemos analisar a missão do padre nessa escola, como uma das maneiras de exercer o ministério presbiteral em favor do novo que emerge. Como afirma Frater Henrique, frente ao método pedagógico centrado no sucesso da instituição, “o padre que é, ao mesmo tempo, pároco e professor da escola, mostra uma mentalidade oposta. Sua atenção se dirige, primeiramente, não para a instituição e suas exigências, mas para as pessoas com suas legítimas aspirações”.

Enfim, debruçar-se sobre o atual exemplar da Revista Horizonte é mergulhar em temas atuais e pertinentes para o mundo acadêmico e pastoral.

 

Boa leitura para todos e todas!

 

Pe. Manoel Godoy

Diretor Executivo do ISTA

Revista Horizonte Teológico – 20 (1,4 MB)

Clique acima para fazer o download de toda a revista em formato pdf.