Na manhã do dia 27 de setembro, aconteceu a VII Jornada da Saúde Mental do ISTA. A ideia foi promover uma experiência que não tivesse apenas uma conotação de debate na perspectiva acadêmica, mas de despertar uma sensibilidade reflexiva através de músicas, vídeos, danças e performances provocadoras, testemunhos e palestras.

A Jornada abordou a temática: “Direitos da Pachamama e buen vivir: cenários de vida em harmonia com a natureza”. Tanto os convidados quanto a comunidade do ISTA debateram sobre a crise contemporânea que a humanidade e a criação estão vivenciando, muito em razão do atual modelo cultural, social, político e econômico. O ser humano está adoecido, isso pode ser percebido pelas relações fragmentadas e virtuais em detrimento de outras vivências mais saudáveis. O individualismo, e consequente isolamento, somam-se a uma indiferença e apatia aos problemas comunitários, impedindo o florescimento da esperança e de uma reação contrária a esse processo de mercantilização da vida e da natureza.

A VII Jornada da Saúde Mental do ISTA refletiu ainda o crime ambiental praticado em Bento Rodrigues, em Mariana – Minas Gerais, um triste exemplo de como a ganância pelo lucro louco nos desconecta do sentido da Pachamama e, por conseguinte, nos desintegra para uma vida plena e digna.

Mas, como canta Milton Nascimento, “se o poeta é o que sonha o que vai ser real”, é imprescindível insistir numa forma de vida que considere o buen vivir e que reconecte o sentido de pertencimento ao universo e possibilite a construção de relações mais horizontalizadas e em harmonia com Pachamama.