Na manhã do dia 22 de maio aconteceu a XV Jornada Literária do Instituto Santo Tomás de Aquino – ISTA, a Faculdade dos Religiosos de Filosofia e Teologia. Os debates foram construídos ao redor do tema “Entre a palavra e o poder”, nos quais os dois âmbitos, palavra e poder, foram tomados interdisciplinarmente em diálogo com a literatura, a poesia, a arte, a política e suas relações com a Teologia e a Filosofia.

Durante a manhã, o professor Gregory Rial proferiu a palestra “O poder da palavra contra a palavra de poder”, levando a todos à reflexão da relação entre poder e palavra. Declamações de textos literários, poemas e apresentações musicais compuseram a programação e fomentaram ainda mais o debate entre os presentes.

A segunda parte da Jornada foi desenvolvida a partir de um bate-papo. Para isso, foi montada uma mesa redonda da qual participaram os professores, Afonso Tadeu Murad e Solange Maria do Carmo, e o poeta Paulo Gabriel. Murad salientou que a palavra aliada ao gesto tem poder de promover as mudanças necessárias nos ambientes nos quis predomina um poder dominador pela palavra. Ilustrou sua fala com exemplos do ministério do Papa Francisco.

Por sua vez, Paulo Gabriel afirmou que a arte é um grito criador e que todo ato criador é por si mesmo libertador. Disse ainda que a arte nos faz encontrar a verdade, com a nossa própria verdade e que esse encontro com a arte é encontro com a beleza que nos ajuda a “combater o medo, a injustiça e a ignorância” nesses tempos sombrios que estamos vivendo.

A professora Solange Carmo refletiu sobre o uso da palavra na comunidade de fé, fazendo-nos perceber que não há nada entre a palavra e o poder, porque a palavra é poder e quem a possui está “empoderado”. Solange disse que o cristianismo é a religião da Palavra Encarnada e que essa palavra foi dada a todos, para que realizemos o Reino. O próprio Jesus deu a sua palavra e a possibilidade da palavra para os que estavam ao seu redor. Ela ressaltou que na Igreja as mulheres não gozam o direito da palavra e que esta é muitas vezes utilizada de maneira irresponsável por aqueles que falam às comunidades ao menos nas liturgias dominicais. Para caminharmos nas estradas de Jesus, é imprescindível que mulheres e homens tenham acesso à palavra e façam uso dela de maneira evangélica na proclamação de uma Boa Notícia.

A XV Jornada Literária já deixou saudades e muitas interpelações que puderam ser ouvidas e sentidas nas diversas falas e reações da Comunidade Acadêmica e de visitantes que participaram ativa e frutuosamente do evento.